sábado, 26 de julho de 2008

Isolados do Mundo


Perdidos e amantes numa praia - a mais deserta -Por testemunha o céu, gaivotas e a areia quente,Nada para lembrar, eu e tu vivendo este presente...Numa manhã quente, à luz do sol, a poesia certa. Entre olhares, desejos, nos amamos perdidamente. E a natureza vibrando nesse instante o momento.Em que dois corpos, eu e tu, rendem-se ao vento.,Dando-se por inteiro nas carícias, freneticamente. Passamos horas assim, alheios a tudo em volta,Pondo em prática devaneios que a imaginação solta,Espraiado o mar, vem lamber em ondas nossos corpos nus,Sonho bom que desfrutamos, e a um Oásis nos conduz...Ao olimpo dos amantes, sem angústias, sem revolta,Celebração de um paraíso pleno de paz, amor e luzP.S- De volta ao mundo que já tinha saudades e me faz bem. Beijo com saudades de todos os meus amigos